conectando rio natal

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Bienal do Livro

Bienal do Livro no Copacabana PalaceO acanhamento revelado nesta foto é uma página virada. Ela retrata a Bienal do Livro de 1983, realizada no Copacabana Palace, em uma área com pouco mais de 1.000 metros quadrados, que reuniu 86 editoras e atraiu 45.000 pessoas. Era o início de uma história bem-sucedida. Na edição seguinte, ela precisou de espaço maior e se transferiu para o estacionamento do São Conrado Fashion Mall, recebendo quase o dobro de público. Até que em 1987 a feira se mudou para o Riocentro, onde está até hoje. A última Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, em 2007, ocupou 55.000 metros quadrados em três pavilhões e teve 950 expositores, 645.000 visitantes e 2,5 milhões de exemplares vendidos.

 

Livros Online - Uma biblioteca eletrônica

Livro eletrônicoEu encontrei o texto Creio na net, veja abaixo.
Se Mário Quintana, disse que aprendeu a escrever lendo. Eu tomei a liberdade de fazer isso aqui na Net, aprendendo a escrever lendo/pesquisando e tentando passar a informação da melhor forma, pois acredito que é escrevendo e revendo o texto, que se aprende.
E, como é lendo que se aprende a escrever, abaixo está o link de uma biblioteca eletrônica que encontrei no blog encontro de poetas e um outro domínio público da net que oferece várias opções: Imagem, som, texto e vídeo, confira.
http://ab-encontrodepoetas.blogspot.com/2009/04/biblioteca-eletronica-212-livros.html e http://www.dominiopublico.gov.br/

O texto do professor é: Creio

CREIO que a função principal da escola é a de desenvolver ao máximo a competência da leitura e da escrita em seus alunos.
CREIO na leitura, porque ler é conhecer - o que aumenta consideravelmente o leque de entendimento, de opção e de decisão das pessoas em geral.
CREIO na leitura como uma reação ao texto, levando o leitor a concordar e a discordar, a decidir sobre a veracidade ou a distorção dos fatos, desmantelando estratégias verbais e fazendo a crítica dos discursos - atitudes essenciais ao estado de vigilância e lucidez de qualquer cidadão.
CREIO na escrita como instrumento de luta pessoal e social, com que o cidadão adquire um novo conceito de ação na sociedade.
CREIO que, quando as pessoas não sabem ler e escrever adequadamente, surgem homens decididos a LER e ESCREVER por elas e para elas.
CREIO que nossas possibilidades de progresso são determinadas e limitadas por nossa competência em leitura e escrita.
CREIO, por isso, que a linguagem constitui a ponte ou o arame farpado mais poderoso para dar passagem ou bloquear o acesso ao poder.
CREIO que o homem é um ser de linguagem, um animal semiológico, com capacidade inata para aprender e dominar sistemas de comunicação.
CREIO, assim, que a linguagem é um DOM, mas um DOM de TODOS, pois o poder de linguagem é apanágio da espécie humana.
CREIO que o educando pode crescer, desenvolver-se e firmar-se lingüisticamente, liberando seus poderes de linguagem, através da simples exposição a bons textos.
CREIO, por isso, em Mário Quintana, que afirmou: "Aprendi a escrever lendo, da mesma forma que se aprende a falar ouvindo, naturalmente."
CREIO, pois, no aluno que se ensina, no aluno como um auto/mestre, num processo de auto-ensino.
CREIO que o ato de escrever é, primeiro e antes de tudo, fruto do desejo de nos multiplicarmos, de nos transcendermos, e mesmo de nos imortalizarmos através de nossas palavras.
CREIO, juntamente com quem escreveu aos coríntios, que a um o Espírito dá a palavra de sabedoria; a outro, a palavra de ciência segundo o mesmo Espírito; a outro, o mesmo Espírito dá a fé; a outro, ainda, o único e mesmo Espírito concede o dom das curas; a outro o poder de fazer milagres; a outro, a profecia; a outro, ainda, o dom de as interpretar.

CREIO que a ti te foi dado o poder da PALAVRA.

CREIO, por isso, na tua paixão pela palavra. Para anunciar esperanças. Para denunciar injustiças. Para in(en)formar o mundo com a-vida-toda-linguagem.PORTANTO, vem! Levanta tua voz em meio às desfigurações da existência, da sociedade: tu tens a palavra. A tua palavra. Tua voz. E tua vez.

Gilberto Scarton

Prof. Me. Gilberto Scarton, assessor especial para assuntos da Língua Portuguesa da PUC-RS. Fonte:
 

Copacabana

Vista parcial de Copabana a partir do pão do açucar

Em Copacabana nada é igual, normalmente quando nos acostumamos com o lugar, tudo fica comum e rotineiro. Mas, não é assim nesse bairro/cidade (ocupa uma aéra de 7,84km² com 150.000 habitantes), pois mesmo para quem acha que conhece, sempre está surgindo uma coisa nova. É o bairro dos encantos mil, pra mim não tem coisa mais linda do que aquele formato de um colar de pérolas para a princesinha do mar, sou suspeita, pois sou encantada. Então, com certeza é desse bairro que falarei mais com conhecimento de causa, pelo menos dos lugares próximos onde moro. Estarei sempre buscando e acrescentando as novidades, muitas vezes até pra mim. Como, por exemplo, até a semana passada, passava todo dia em frente a uma construção (antes era uma loja), ficava curiosa e me perguntava “o que será que vai ser aqui?”
Pois bem, nessa construção surgiu um novo barzinho, estão surgindo muitas casas de café tipo Bistrô, casas de sucos, nem se fala!. São tantas que dá vontade de tomar um suco, diferente, a cada vez que saio de casa.
Conheço mais o bairros vizinhos (O bairro faz divisa com Lagoa, Ipanema, Botafogo e Leme), mas vou passar a conhecer os outros quando me pedirem informação, pois creio que através da rede terei colaboradores dos bairros, que me ajudarão e, se for o caso, eu mesma posso também ter o interesse de conhecer, como também postarei todas as dicas dos amigos que moram em outros bairros, procurando mostrar as peculiaridades de cada bairro, o que tem de melhor, aonde ir à noite, etc, etc.
Sim, porque como a cidade é grande e nem todo turista fica só na zonal sul, existem as famílias espalhadas por toda a região do RJ, muitas vezes a saudade e o aconchego da família faz com que a pessoa dispense o hotel, não é nem a questão financeira é curtir a família. Conheço várias pessoas que dizem “não posso deixar de ficar na casa de meu irmão”. Para os nossos parentes, se não aceitarmos a hospedagem é considerado uma desfeita (risos).

 

 

Meio ambiente - Leitura para criança

 

Limpando a CidadePara recuperar o estrago já feito pelas gerações passadas, vamos cada vez mais falar no assunto e passar o que for possível para a nova geração, sendo um assunto cada vez mais presente. Postarei aqui umas dicas de literatura para criança e jovens, que tem tudo a ver...
E a figura ao lado é do bonequinho Sujismundo, que surgiu nos anos 70. Depois de anos, agora voltando em nova versão, como herói, com o assunto que não tem idade e necessário sempre, cuidando do que é nosso, o planeta terra.
PS: Nos anos 70 quem falava em meio ambiente, era considerado ECOCHATO.

Inimigo da sujeira

Quem se lembra do Sujismundo, personagem porcalhão que estrelou nos anos 70 uma campanha nacional contra a falta de higiene? Como ele era simpático toda vida, o tiro acabou saindo pela culatra. A causa agora é a mesma, mas encabeçada por uma figura bem diferente, a começar pela pinta de herói. Para combater o mau hábito de jogar lixo no chão, a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) deu vida ao Super Gari, bonequinho semelhante ao brinquedo Playmobil que estará em anúncios de TV, previstos para ir ao ar no fim do mês, e em histórias em quadrinhos com sua inseparável vassoura. Fonte: vejario em 190809.

Quem forma bons leitores/escritores?

A família, oferecendo um ambiente onde os materiais de leitura e escrita estão presentes e dando o exemplo (ou seja, lendo e escrevendo).
A escola, alfabetizando e depois continuando (em todos os níveis de educação) o tratar de leitura e escrita em todas as matérias, e não apenas nas aulas de língua portuguesa.
A sociedade, oferecendo um ambiente cultural rico e encorajador, com muias experiências de letramento, na qual todas as pessoas passam se sentir incluídas.
Texto extraído do instituto ecofuturo - Leia para os seus filhos. Leia com os seus filhos.

O Menino do Dedo Verde é um livro infanto-juvenil escrito por Maurice Druon em 1957, sendo este o único livro fictício e de linguagem infantil que o autor escreveu.

Fontes para pesquisa e leia mais

http://comlurb.rio.rj.gov.br
http://www.pucrs.br/mj/videos.php (Vídeos diversos sobre mãe terra)
http://www.limpabrasil.com

 

 

MAC - Museu de Arte Contemporânea em Niteroi

O prédio do Museu de Arte contemporânea, por si só já é uma obra de arte. Vou começar com algumas citações importantes e, principalmente, a primeira (explicação necessária) que fez o nosso arquiteto se inspirar em mais uma obra.

Olha o museu à noite, que lindo!!.

ps: todas as fotos foram do google.

Explicação Necessária
Oscar Niemeyer (2006)
"Como é fácil explicar este projeto!
Lembro quando fui ver o local. O mar, as montanhas do Rio, uma paisagem magnífica que eu devia preservar.
E subi com o edifício, adotando a forma circular que, a meu ver, o espaço requeria. O estudo estava pronto, e uma rampa levando os visitantes ao museu completou o meu projeto.”

Veja o manuscrito do próprio, no site do MAC.

Assuntos relacionados:

MAC com Franz Krajcberg

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL
Sou Curiosa

O que você passa a conhecer é o seu conhecimento na sua visão, então porque não passar a informação para o outro e a partir daí cada um terá sua própria visão, respeitando o conceito (pré-determinado ou não) de cada um.

 
Pensando em viajar

"Tenho o mais simples dos gostos, me contento com o melhor" Oscar Wilde.

Acredito que o melhor nem sempre quer dizer custo alto, então, procuro dentro de minhas possilibidades fazer as minhas escolhas.... Sônia.

Links com fins sociais:

Casa do Bem
Fazer o bem sem olhar a quem...
ADOTE-RN
Associação de orientação aos deficientes

Meio Ambiente

Me siga também... TWITTER
Twitter @rionatal.

Estatísticas

Visualizações de Conteúdo : 1882158

Usuários On-line

Nós temos 114 visitantes online