conectando rio natal

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Principal Comes & Bebes

Diversos tipos de bares, restaurantes, lanches, sorveteria, botecos, café, etc.etc.



Siri e Camarão, uma boa pedida - RJ/RN.

E-mail Imprimir PDF

Sábado com chuva e gostoso para sair e comer fora ou fazer programas em lugares fechados. Ultimamente também ando fazendo passeios não só com conterrâneos, hoje foi  um desses dias, onde o anfitrião foi um Carioca que estava siceroneando amigos de Campinas, SP. E eu, a única nordestina entre eles, coisa rara. Sim, porque tem horas e dias que daria para formar a confraria dos não cariocas. Deus me livre. Estou fora dessa separação. Lembrei agora que teve um dia em que nos reunimos em casa de amigos, onde erámos 10 pessoas de diversas regiões e somente um carioca.
Lembro aqui das pessoas que que vão estudar outra língua e evitam o contato com os Brasileiros com medo de viciar. Eu, ainda bem que não tenho esse problema, não evito o contato com os meus, afinal não estou fazendo curso de línguas. Por falar nisso, qual seria minha línga? É que agora mei veio a lembrança de um momento hilário em que até hoje conto e todos acham graça, meus amigos adoram. Saí daqui em férias para Natal em pleno carnaval, mas  antes passei por Olinda - PE (um dos melhores carnavais de rua do mundo) para encontrar amigos em um hotel e o recepcionista não me entendia e perguntou - "Hablas Espanhol?" E, eu já sem paciência, respondo, - "Não, eu sou sua conterrânea de região, RN."

O passeio de hoje foi diferente e ao mesmo tempo me trouxe boas lembraças, lembrei do restaurante Camarões de Natal, onde a pedida são frutos do mar, pratos que adoro. Saímos de Copacabana e fomos para o Siri da Barra encontrar o pessoal.    

O restaurante Siri é de uma rede espalhada por vários bairros do RJ e nos municípios Nova Igauçu e Niterói. O primeiro deles que conheci foi o da Ilha do Governador, há uns 10 anos e através de um amigo Potiguar que mora na Ilha. Hoje, fui apresentada ao da Barra através dos Cariocas. Está a maior chuva e o programa da noite seria ir à praça Tiradentes recentemente  revitalizada, já estava pensando nas fotos com o munumento da praça Tiradentes bem iluminado, mas com chuva, não é a mesma coisa, mas será um bom programa para ir a Estudantina. Dia da reinauguração da praça estive por lá, cliquei umas fotos e aproveitei para ir ver o musical, Tim Maia em um dos teatro que tem ao lado da praça, o Carlos Gomes que ainda oferecia o ingresso a 1,00 real, mas ao chegar lá a fila estava kolométrica, não consegui. Então, para não perder o teatro, fui a um outro que é do outro lado, o João Caetano para ver o  musical, Baby. A praça ficou tão bonita que quero fazer um post à parte.

Imperdoável estava sem máquina e não tirei nenhuma foto do prédio do restaurante, mas ao mesmo tempo, adorei. Pois através de minhas buscas encontrei um blog muito legal, o Mão na Roda, que em sua página principal diz ser um Guia de sobrevivência do cadeirante cidadão. Vi que é um blog com dicas útil, para o cadeirante e o primeiro da lista que diz que faz o blog é Eduardo Camara Cadeirante é carioca, adora filmes trash e pedalar sua handbike. Existem vários outros que faz o blog. O Eduardo era o primeiro da lista, vai lá conhecer o endereço está em fontes.  Pena não ter encontrado fotos do prédio nem o site do restaurante encontrei.

Assuntos relacionados:
Camarões (Restaurante em Natal e aqui ainda tem a informação que o RN é o maior produtor e exportador de camarão do Brasil)
Camarões mais uma vez, sempre, ou a cada vez que tiver algum turista....

Fontes:
http://www.restaurantesiri.com.br/index.html
http://maonarodablog.com.br/2007/11/13/restaurante-siri-barra-da-tijuca/ (a foto foi copiada desse blog mão na roda que é um blog muito legal, para a sobrevivência do cadeirante cidadão)

http://carnaval.olinda.pe.gov.br/ (conheça o carnaval de Olinda - Pe aqui através do site. Pode crer acho que fui uns 15 anos a esse carnaval, muito bom..O Rio de uns anos para cá está resgastando o carnaval de Rua. Está muito bom, também)

ps1: Desisti de ir a estudantina, muita chuva e nada melhor do aconchego do lar. Estou vendo o Criança esperança, está diferente dos anos anteriores, muito colorido e cultural, mostrando a diversidade do Brasil. Lindo o quadro de Potinari com aquele belo colorido e, ainda mais informando quem foi Portinari, uma forma diferente de mostrar cultura para o público de massa. Já fiz um post sobre o mesmo em Guera e Paz - Portinari no Municipal RJ

Amei ver minha conterrânea Roberto Sá mostrando o forró de Campina Grande, até já postei sobre a mesma em Roberta Sá - Natal em Cordel encantado. e o violonista Francês, acho ele o máximo, pois adora a cultura Brasileira. Ah e o Guga, ele é demais com o instituto IGK (www.igk.org.br) . Para mim a pessoa que mais se aproxima de Ayrton Senna do Brasil.

Não conhecia Jobson que é um autista e mora em Natal, incrível sua história fui ler a reportagem que o criança esperança fez com os seus pais e me emocionei. Imagino a dificuldade que esses pais passaram. Ainda bem que o tempo passa e cura tudo. E, com fé e dedicação só traz melhorais, mesmo com todas as adversidades. Indo a Natal vou procurar uma instituição só de Autista para conhecer, afinal não se divulga mutio o autismo, só conhecemos mais sobre a Síndrome de Down.

Quem acredita que as nossas crianças é quem faz o futuro de uma nação, doe de alguma forma. Se, não acredita em ONGS, então procure alguma criança  próxima a você e acompanhe...Isso é tudo.

Encerro com um link de uma música cantada por Fáfa de Bélem no teattro da PAZ, em Bélem. Vermelho é o coração de todos, mas a diferença é que uns não tem muita paixão pelo que faz. Minha dica é que mesmo não goste do que faz, procure colocar um pouco de paixão que melhora. Isso serviu para mim. Então, mesmo que não goste de fazer alguma, coisa, mas é preciso fazer, até por necessidades básicas é uma boa saída.  http://www.youtube.com/watch?v=2ccuuPASJxU

Última atualização em Dom, 28 de Agosto de 2011 13:14
 

Restaurante da Quinta da Boa Vista - Uma história.

E-mail Imprimir PDF

Só agora após  16 anos é que vim a conhecer alguma coisa da Quinta da Boa Vista. Estou em casa quando os colegas do trabalho, me ligam, chamando para almoçar no restaurante da quinta. Um convite irresistível, como era para rever amigos nada melhor que um almoço em um  lugar gostoso. É um local super agradável e cheio de história, já começa na entrada do restaurante com o pessoal todo vestido à caráter, com roupas de época.
Estou esperando o Daniel meu menininho do céu lá de Natal chegar, que vou levá-lo para que eu possa conhecer tudo que falta da quinta da boa vista e com ele vou começar pelo Zôo, pois estou louca para conhecer as aves. Com certeza irei mais uma vez ao Cristo e ao pão de açúcar, digo que são passeios repetitivos, mas incansáveis.

Um pouco da história do restaurante e da quinta da Boa Vista, transcrito do próprio site. Olha que absurdo as mesas já eram separadas por causa do imperador. Era fogo o imperador!. Só a foto com todo o corpo de trabalho do restaurante, é do site. As demais são minhas. O bacalhau mereceu o clique Hum, uma delícia.

História do Restaurante.
O Restaurante Quinta da Boa Vista está instalado onde funcionava a antiga capela da residência da Família Imperial. Durante a missa os homens sentavam-se à direita e as mulheres à esquerda (o lado do coração) para não expor o Imperador à tentação, ao menos na hora da missa.
Onde hoje funciona sua cozinha era no passado a casa do sacerdote. Os salões do Restaurante situam-se sobre um dos porões da antiga capela, onde o Imperador costumava passar as noites com suas escravas preferidas. No outro porão castigavam-se os escravos que se rebelavam contra o cativeiro.
A capela da Quinta  foi transformada em restaurante em 1954. Possui pinturas em estilo frances e móveis do século XVI e mantém suas características originais.
A Quinta da Boa Vista  foi construída em 1803 pelo comerciante português Elias Antônio Lopes e doada à Família Imperial em 1808, quando da vinda de D. João VI, fugindo de Napoleão Bonaparte.
O botânico francês Glaziou comandou a reforma dos seus jardins durante o reinado do Imperador. Em seu palácio hoje funciona o Museu Nacional.
A Quinta  também abriga o Jardim Zoológico do Rio de Janeiro, fundado em 16 de março de 1888 pelo Barão de Drumond, inicialmente no bairro de Vila Isabel. A dificuldade em manter o Zôo e seus animais, levou o Barão a criar um jogo, para atrair visitantes. Estava criado o “Jogo do Bicho”. A idéia entretanto, não foi suficiente para salvar o antigo Zôo que acabou fechado na década de 40. O “novo” Zôo, na Quinta, foi inaugurado em 18 de março de 1945.
Destaca-se na entrada do Zôo, o imponente portão oferecido como presente de casamento a D. Pedro II e a Imperatriz Leopoldina por um nobre inglês.
O zôo possui, a maior coleção de aves do país, destacando-se a Ararajuba ou Guaruba, a maior de seu gênero. Ela mede 34 cm de comprimento e tem um colorido único - amarelo brilhante com a ponta das asas verde bandeira. As principais cores da bandeira brasileira.

Fontes:
http://www.restaurantequintaboavista.com.br/ (a história do restaurante com um pouco do zôoo)
http://www.rio.rj.gov.br/web/riozoo (Fundação RioZoo - fundação Jardim Zoológico da cidade do Rio de Janeiro)
http://www.museunacional.ufrj.br/ (site do museu nacional que fica na quinta)

Última atualização em Ter, 05 de Julho de 2011 17:57
 

Maria Melada no Centro Comercial Copacabana

E-mail Imprimir PDF

Tanto posso comer quibe cru no Bar do Elias e Cinelândia, como em outro dia ir para um restaurante vegetariano. Depois de um final de semana com amigos potiguares e de ter conhecido 2 restaurantes que queria, sendo um no Leblon e outro em Ipanema (post futuros). Resolvi que voltaria para a rotina normal me redimindo e buscando pagar os pecados (da gula), pensei: “Vou partir para a dieta saudável”. Sim, porque não tem preço e nem penso em culpa se estou com amigos, já que o bom é pedir o couvert, conversar e curtir o momento e, ainda mais que comer é um dos melhores prazeres da vida. Lembrei agora de Roberto Carlos com Ilegal, imoral ou engorda e pergunto: “Por que tudo que é bom engorda!?”.

Vou muito ao Centro Comercial Copacabana, porque lá tem o salão que gosto e é de uma amiga, paraibana. E um dia ela me indicou um restaurante de comida natural, Maria Melada (*) que fica no mesmo andar. Fui, comi e gostei. É bom para fugir um pouco do self service indo para um ambiente mais intimista e, melhor ainda, sai mais barato. Hoje, mesmo almocei uma salada verde, uma porção de berinjela, feijão fradinho e lombinho e ainda um copo de suco, no total de r$14,00. Tem umas sobremesas, delícia. É um ambiente aconchegante e gostoso. Você vê poucas pessoas (e olhe que goste de gente, muvuca, mas tem horas que quero calma). Não é aquele ambiente tumultuado em hora de almoço e conversando com

umas das proprietárias, a Cláudia (a outra é Dany) ela me disse que fornecem almoço para o pessoal do prédio, que é o pessoal que tem consultório e/ou escritório. É um tipo de público que busca por uma alimentação mais saudável e os horários deles são diferenciados, por isso que em horário de almoço, você não vê um tumulto. O bom é que se você senta em uma mesa olhando para a Janela você nem lembra que está em uma das esquinas mais movimentas de Copacabana, a Nsa Senhora de Copacabana com Siqueira Campos e você não ouve barulho de carro e ainda fica olhando para o verde da praça Serzedelo correia, traz uma paz!.
Ainda não tem site, mas logo que estiver pronto atualizo a informação.
Sobre o Centro Comercial Copacabana

É um dos centros comerciais mais antigos de Copacabana. A primeira vez que vim ao Rio em 1987 fiquei em um Hotel que era na rua por trás, o Windsor na Domingos Ferreira e também lembro muito do La Mole (que era o must da época) que ficava em frente a praça e um Hotel (depois atualizo o nome). Só agora depois de anos é que recentemente eles fizeram uma reforma na melhoria do piso, até acho que um prédio onde a população e muito frequentada por clientes da terceira idade o piso é muito escorregadio. Houve reclamação, chegou até a cair uma senhora e eles colocaram uma proteção, tipo uma fita aderente.
Fui buscar um site sobre o Centro Comercial de Copacabana, mas não encontrei queria saber exatamente o ano de sua inauguração. Por um comentário que encontrei no fotolog do terra, a pessoa citava que foi lá, em 1961 comprar a sua primeira calça "Lee" e era uma “operação sigilosa”, contrabando, imagina!. Aliás, calça jeans era o sonho de consumo meu, com 14 anos. Não precisava nem ser de marca (não sabia o que era marca) eu dizia que o primeiro salário de minha vida seria uma calça Jeans e foi. Mas, graças a Deus como era desapegada da mesma forma que comprei, não gostei! e pouco tempo depois cortei para fazer uma bermuda.

( *) Informações atualizadas em 16/06/11 às 21:20hs.

Voltei lá hoje para almoçar e me deu curiosidade para saber o porque do nome Maria Melada. A Dany me falou que ela tinha uma loja de Bijouteria e estava fraco o movimento, começou a fazer doce de mel para vender e a coisa cresceu, fechou a loja de bijouterias e passou para esse negócio, tinham 3 opções e o irmão quem deu o nome Maria. Maria Melada dá um ideia de várias coisas, menos de restaurante, mas é isso que desperta a curiosidade.

Fontes:


http://fotolog.terra.com.br/luizd:1820 (O luiz que comprou a sua primeira calça Lee e a foto antiga do Centro é desse site. As outras fotos foram clicadas por mim).
http://www.fotolog.com.br/andredecourt/42360648 (aqui fala um pouco do prédio e tem a foto que está aqui postada, não encontrei exatamente o ano de inauguração).
http://www.copacabana.com/pra-serz.shtml (História da praça Serzedelo e quem foi a pessoa Zerzedelo Correia).
http://letras.terra.com.br/roberto-carlos/48609/#selecoes/48609/ (Letra e música de Roberto Carlos)

Última atualização em Sex, 01 de Julho de 2011 19:34
 

Bar do Elias e Cinelândia

E-mail Imprimir PDF

Ontem em especial, fui almoçar no restaurante Bar do Elias com a finalidade de comer diferente, passo essa dica porque para mim o diferencial é o quibe cru, com muitas outras opções de quibes. Gosto muito de uns enroladinhos de folha de uva, de abobrinha, barinjela, enfim uma variedade de comida árabe. Digo que sendo reataurante SelfService é o Siqueira Grill em Copacabana para comida japonesa e no Elias para comida árabe, além de ser variadíssimo, também tem comida japonesa. Estando passeando pela cinelândia e arredores e quiser conhecer é na mesma calçada do teatro Municipal, na rua Evaristo da Veiga. Se for fazer aquela visita guiada do Teatro Municipal e depois for a Santa Tereza, de bondinho não tem como não passar em frente, entrar e escolher, cuidado com o prato (imenso) e aí a gente exagera. Outra opção de almoço, também,  é em Santa Tereza que tem ótimos restaurantes. É só pedir para ficar no largo dos Guimarães e você encontra o restaurante do seu estilo, de comida nordestina a alemã.
Saindo de lá passei  pela cinelândia que a cada vez me lembra quando eu estava em Natal e via pela TV aqueles grandes comícios, protestos. Nem sempre, mas dependendo do dia eu curto tudo que acontece, presto atenção nas faixas, nas planfetagens.  Algumas vezes chego até a pedir o planfeto para saber o que se trata. Sim, porque quando estamos longe, achamos tão distante de nós e muitas vezes passamos dentro do que está acontecendo e também nos colocamos  distante da mesma forma, como se o que acontecesse ali não virá a nos atingir. A famosa indiferença que nos assola. Não que eu vá fazer parte daquela manifestação naquele momento, mas no dia em que estou com a veia de ativista, ativada,  gosto de me inteirar do que está acontecendo.

Semana passada tinha passado por lá e postado Feira de Livros - ABL. Hoje, curti, novamente, e tirei fotos da feira de variedades que estava acontecendo. Parei em uma barraca que os produtos me chamaram a atenção porque o que estava exposto era uma graça e alguns trabalhos eram com material reciclado. Tinha umas bonecas de pano que eram perfumadas e tinham um cheiro agradável. Sabe aqueles produtos que lhe conquistam e ainda mais com as vendedoras que sabem vender e ao mesmo tempo lhe deixam à vontade! Falei para elas que parecia que elas faziam uma mágica para vender, que aquela barraca tinha um astral diferente, Tarcia é uma mineira e a carioca, Thais é dona de um blog que adorei o nome Brasilidade Carioca. Elas têm um ateliê em Santa Tereza e vão participar do Santa Tereza de Portas Abertas, evento que acontece todos os anos e que é muito legal.
Claro, que não saí de lá sem um mimo para mim, não seria as bonequinhas, pois cada uma trazia  uma mensagem como se fosse um namorado oferecendo a amada. Optei por um colar de tecidos em seda, simples,  mas diferente e, um azulejo pintado em amarelo com uma mensagem:  E não obstante chegará o dia em que o impossível se transformará no possível  e, mais ainda no natural. Eugen Herrigel.

Fontes:
http://www.reneguenon.net/oinstitutoArqueiroZen.html
(Eugen Herrigel, professor alemão de filosofia)
http://brasilidadescariocas.blogspot.com/ (O blog da Thais tem uma foto desse colar que está lindo com uma blusa preta. É um blog que fala que é um projeto recicriarte=arte ecológica, moda e decoração inteligente)
http://www.oreporter.com/detalhes.php?id=50653 ( Santa Teresa recebe o 'Arte de Portas Abertas' em julho)

http://amocaeamesa.blogspot.com/2009/10/bar-do-elias.html (gostei da avaliação do bar do Elias aqui nesse blog)

Última atualização em Dom, 12 de Junho de 2011 11:15
 

Primeiro Mac na América do Sul, em Copacabana.

E-mail Imprimir PDF

O primeiro Mac que conheci ao chegar ao Rio, não foi um qualquer e sim o primeiro ponto da Rede Mac instalado na América do Sul, como até hoje moro nas proximidades, de vez em quando passo em frente. Em uma de minhas visitas familiares levei minha afilhada que adorou comer um Mac, pois era novidade. Qual criança e/ou adolescente que não gosta de sanduíche? E só agora finalmente estou postando o primeiro Mac inaugurado na América Latina, em 12/02/1979 localizado em Copacabana, no Rio de Janeiro na rua Hilário de Gouveia, 74. Passo sempre em frente e tinha vontade de clicar essa placa.
Não poderia nunca ser uma propaganda já que ao fazer esse clique estava vindo de um almoço em um restaurante vegetariano. Não sou vegetariana, só gosto de variar e experimentar diferentes tipos de comida. Nos dias em que dar vontade de comer um Mac eu como. Pelo menos no dia da campanha (anual) do McDia Feliz eu vou. Assim participo da campanha para o câncer infantil.  O post aqui é porque além de ser um fato histórico (não é um ponto qualquer) ainda admiro a campanha deles, em prol do câncer infantil.
Alguns criticam o lado social e dizem que elas (as empresas) fazem isso porque estão ganhando, porque deduz no Imposto de Renda, etc,etc. Claro,  quem vai dar, sem ganhar? Elas “dão” porque ganham óbvio por isso são grandes empresas.  Que todas essas empresas (nossas ou multi) possam proporcionar ao País campanhas assim, para que possamos ter um mundo melhor, com certeza. Portanto, não critico e ainda bem que hoje o social por parte das empresas está cada vez mais crescendo em nosso país.
ps: Para os que estão hospedados nas redondezas e quiser lanchar especificamente nesse MAC, consulte o http://maps.google.com/ para se posicionar. 

O McDia Feliz

O MC feliz é Coordenado pelo Instituto Ronald McDonald, o McDia Feliz é a maior campanha do país no combate ao câncer infanto-juvenil, além de ser o principal evento comunitário do Sistema McDonald’s no Brasil.
No McDia Feliz, todo o recurso arrecadado com a venda de sanduíches Big Mac (exceto alguns impostos), vendido separadamente ou na McOferta de Big Mac - além de materiais promocionais confeccionados pelas instituições participantes - é revertido para instituições de apoio e combate ao câncer infanto-juvenil de todo país.
O evento garante o dia de maior movimento em mais de 500 restaurantes McDonald’s, contando com uma mobilização de mais de 30 mil voluntários. Ao longo de 21 anos de realização da campanha, a renda obtida com o McDia Feliz contribuiu para o expressivo crescimento do índice de cura da doença no Brasil: de 15%, no final da década de 80, podendo chegar a 85% em alguns casos. Leia mais no próprio site http://www.instituto-ronald.org.br/index.php/mc-dia-feliz

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/McDonald%27s
http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL12821-9356,00-MCDONALDS+ESTA+NO+BRASIL+HA+ANOS.html
http://www.mcdonalds.com.br/#
http://comatitude.com.br/2011/04/07/mcdonald%E2%80%99s-une-marca-e-consumidores-com-mcdia-feliz/

 

Última atualização em Qui, 12 de Maio de 2011 22:22
 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL
Sou Curiosa

O que você passa a conhecer é o seu conhecimento na sua visão, então porque não passar a informação para o outro e a partir daí cada um terá sua própria visão, respeitando o conceito (pré-determinado ou não) de cada um.

 
Pensando em viajar

"Tenho o mais simples dos gostos, me contento com o melhor" Oscar Wilde.

Acredito que o melhor nem sempre quer dizer custo alto, então, procuro dentro de minhas possilibidades fazer as minhas escolhas.... Sônia.

Links com fins sociais:

Casa do Bem
Fazer o bem sem olhar a quem...
ADOTE-RN
Associação de orientação aos deficientes

Meio Ambiente

Me siga também... TWITTER
Twitter @rionatal.

Estatísticas

Visualizações de Conteúdo : 1388706