conectando rio natal

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Trapaça

Sinopse e detalhes

Irving Rosenfeld (Christian Bale) é um grande trapaceiro, que trabalha junto da sócia e amante Sydney Prosser (Amy Adams). Os dois são forçados a colaborar com um agente do FBI (Bradley Cooper), infiltrando o perigoso e sedutor mundo da máfia. Ao mesmo tempo, o trio se envolve na política do país, através do candidato Carmine Polito (Jeremy Renner). Os planos parecem dar certo, até a esposa de Irving, Rosalyn (Jennifer Lawrence), aparecer e mudar as regras do jogo.
É curioso ver Trapaça disputando premiações com O Lobo de Wall Street, afinal o primeiro pode ser visto como uma grande homenagem ao cinema de Martin Scorsese. O longa segue a estrutura de obras como Os Bons Companheiros e Cassino, onde ninguém é inocente. Conta com um elenco grandioso, uma trilha impactante com vários clássicos do rock, uma narração off bem particular e flashbacks de uma infância dura. Além disso, traz uma participação especial de Robert De Niro.
Leia mais sobre a crítica no site do AdoroCinema.


Fontes:

http://www.adorocinema.com/filmes/filme-205330/criticas-adorocinema/

 

EDYPOP - musical

Sinopse
Texto: Pedro Kosovski | Direção: Marco André Nunes

Nas ruas, os ânimos estão acirrados. A ausência do governante é sentida por todos.“Os mascarados inflamam: Vamos desterrar o poder! Vamos aterrar o palácio!” O rei,acuado, está doente. Mal consegue se manter de pé. Tem vertigens, desmaia, delira. Desde o nascimento do herdeiro do trono é assim. O temor de que se cumpra a profecia rege, minuto a minuto, seus dias. Desgovernado, o monarca não tem mais olhos para o reino nem ouvidos para os súditos. E, enquanto um clamor inaudito toma conta do palácio (“O morro vai descer! O morro vai descer!”), sua terra é “ocupada por homens, mulheres e crianças mascarados, que erguem no seu cume a bandeira negra do caos”. A cidade, em abandono, quedou doente, junto a seu soberano.

“Nowhere is now here.” Tragédia grega ou parábola dos dias de hoje? Ou as duas
coisas ao mesmo tempo, aqui e agora, e mais um monte de coisas no meio?

Sétimo espetáculo levado à cena por AQUELA COMPANHIA DE TEATRO desde a sua fundação em 2004, o musical EDYPOP é uma recriação livre, pop, como indica o título, e pra lá de bem humorada do mito de Édipo. Que se apropria menos de sua referência clássica – a tragédia escrita por Sófocles (495 a.C.-406 a.C.) quase dois milênios e meio atrás – do que de derivações que a precedem ou a sucedem. Do mito de Laio, o rei cambaio, pai e vítima fatal de Édipo, que motivou obras de dois outros grandes tragediógrafos gregos – as homônimas Laius, de Ésquilo (525 a.C.-456 a.C.) e de Eurípedes (480 a.c.-406 a.c.), que não sobreviveram aos nossos dias – ao complexo de Édipo formulado pelo pai da psicanálise, Sigmund Freud (1856-1939), nos anos 10 do século passado. Da fixação na figura materna que transparece na obra de um dos maiores ícones da história da cultura e do ativismo pop – John Lennon (1940-1980) – ao brado de insurgência contra os desmandos e a omissão do poder público que tomou as ruas do Rio e de todo o país neste ano 13 do século XXI.

Assuntos Relacionados:

Me salve, musical – Uma comédia reflexiva.

É com esse que eu vou - Musical

Um Violinista no Telhado

ALÔ DOLLY

Cazuza - pro dia nascer feliz, o musical

Milton Nascimento - Nada será como antes


Fontes:

http://www.maisteatro.com/espetaculo/edypop

 

Intimidades

 

Ontem fui ao teatro Glaucio Gil ver a peça intimidades, é a história de um casal em crise e discutem a  relação o tempo todo. Saí da peça pensando: Meu Deus  a realidade muitas vezes é cruel o que fazer? Diz o que pensa ou omite? As vezes a forma como ela ("a verdade") é dita chega a ser grosseiro
O teatro Glaucio Gil é muito bem localizado e é da prefeitura, portanto os preços são mais populares, pra mim é ótimo,  perto de casa que eu vou caminhando. Para quem quer ir de metrô é ao lado da estação cardeal arco verde. 
Sinopse
Texto: Gustavo Machado | Direção: Bruce Gomlevsky
Um casal: uma mulher e um homem. Nove anos de amor. Nove anos de troca, renúncia, ciúme, desejo, saudade, coragem, covardia, camaradagem, desafio, troca, culpa, peso, aconchego.
Dois ímãs que se atraem e se repelem ad infinitum. ‘Humor é amor com H’, diz o Homem, ao que a Mulher responde ‘Amor é simplesmente estar por perto’, ao que ele responde perguntando, ‘quão perto’? Ela: ‘perto o suficiente’. Ele: ‘suficiente pra que? E assim vão. Vão?
A peça Intimidades é como se fosse um buraco na fechadura onde podemos ver flashes desse casal que está junto há nove anos. Flagramos os dois em momentos de conflito, de ternura, de desassossego, de paixão e de solidão.
Gustavo Machado escreveu o texto, a partir de uma encomenda da atriz Roberta Alonso “que queria uma peça de casal. Eu, que sempre quis escrever o meu eu sei que vou te amar, topei a parada. Claro que escrevi o texto pensando na Roberta como atriz. Bruce convidou o jovem talentoso Otto Jr para formar o casal com Roberta, o que achei uma excelente escolha”, afirma o autor que deixa claro que, apesar de ter vivido situações parecidas na vida e de ter ouvido muitas histórias de amigos e conhecidos, deixou que todas essa história saísse de sua imaginação.
Clique aqui e leia toda a sinopse do site mais teatro.

 

Fontes:

http://www.maisteatro.com/espetaculo/intimidades

 

A Grande Beleza

O filme a grande beleza me transportou para a minha viagem que fiz recente (setembro2013) a Roma. É muito interessante passar por toda aquela história. Achei o coliseu incrível e me emocionei ao ver aquele monumento. Os palácios e igrejas nem se fala.
Fiz meu primeiro passeio a Europa e espero que tenha sido o primeiro de mais algumas vezes que possa ou tenha oportunidade de voltar. Roma, Paris e Lisboa foram as três cidades que mais gostei e quero voltar, pois é preciso voltar com mais calma, sem ser em excursão, a vantagem da excursão para quem vai pela primeira vez é pelo fato de ter um guia. Mas,  é muito corrido, de qualquer forma para uma primeira vez valeu a pena. voltar nos mesmos lugares, em excursão, não pretendo mais.
Leia a sinopse do filme em artigo da vejario.
Paolo Sorrentino tem 43 anos e a maturidade dos experientes cineastas. Diretor de Il Divo (2008), infelizmente inédito no Brasil, e de Aqui É o Meu Lugar (2011), ele se supera em todos os quesitos na realização de A Grande Beleza, o longa-metragem indicado pela Itália para concorrer a uma vaga no Oscar. De uma plasticidade estupenda, o filme traz um recorte da alta sociedade de Roma, dominada pela breguice e por uma intelectualidade de botequim. Concentra-se em Jep Gambardella (o excelente Toni Servillo) a síntese da decadência. Irônico e ácido, Gambardella, aos 65 anos bem vividos e autor de um único livro, faz entrevistas esporádicas para uma revista e mora numa magistral cobertura em frente ao Coliseu. Orbitam em torno dele poucos amigos e muitos sanguessugas. Perambulando por festas, chega a trocar a noite pelo dia. Gambardella, como ele mesmo diz, não se obriga a fazer o que não quer. Solteiro e sem filhos, está cansado e sente o peso da idade ao descobrir que uma namoradinha da juventude se casou com outro, mas era apaixonada por ele. As referências de Sorrentino são ora evidentes, ora implícitas. O filme possui o clima onírico das fitas de Fellini e uma alusão ao personagem de Marcelo Mastroianni em A Doce Vida. Violência e Paixão, de Visconti, está entranhada na solidão do protagonista. Além de afiadíssimo nos diálogos, Sorrentino capta o esplendor de Roma ao penetrar com sua câmera em palácios e em passeios por ruas desertas. Trata-se de um raro casamento entre a beleza da arquitetura e a riqueza das palavras. Direção: Paolo Sorrentino (La Grande Bellezza, Italia/França, 2013, 142min). 14 anos. Estreou em 20/12/2013.

Fontes:
http://vejario.abril.com.br/arte-e-cultura/cinema/filme-a-grande-beleza-764235.shtml

 

Obsessão Infinita - Yayoi Kusama

Fui ao CCBB ver a exposição da Yayoi Kusama: Obsessão Infinita. Mas, enfrentar fila com uma temperatura de 40 graus e sensação térmica de 50 graus (com ar-condicionado desde o hall, mas não dava vazão), só turista mesmo, porque tem que aproveitar os dias de visita ao Rio, como eu já tinha ido mês passado com potiguares então voltei, mas os amigos, que dessa vez não eram potiguares e sim pernambucanos, ficaram.

A exposição é como diz o título mesmo, uma obsessão por bolas, e não são poucas... Traz  trabalhos de  uma das mais importantes artistas japonesas em atuação reúne 110 obras, realizadas entre 1949 e 2012, incluindo pinturas, trabalhos sobre papel, esculturas, vídeos e instalações. 
Visite o site Loucos por óculos que tem ótimas fotos, copiei aqui para o site a foto que tem o lindo teto do CCBB com uma bola.
Para quem ainda não viu, aproveite que fica até 20 janeiro.

Fontes:
http://www.bb.com.br/portalbb/page511,128,10154,1,0,1,1.bb?codigoEvento=5434
http://www.loucosporoculos.com/2013/10/yayoi-kusama-inicia-exposicao-no-ccbb.html
http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-rio/v/ccbb-recebe-a-exposicao-obsessao-infinita-a-partir-deste-sabado-12/2881426/ (vídeo da exposição)

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL
Sou Curiosa

O que você passa a conhecer é o seu conhecimento na sua visão, então porque não passar a informação para o outro e a partir daí cada um terá sua própria visão, respeitando o conceito (pré-determinado ou não) de cada um.

 
Pensando em viajar

"Tenho o mais simples dos gostos, me contento com o melhor" Oscar Wilde.

Acredito que o melhor nem sempre quer dizer custo alto, então, procuro dentro de minhas possilibidades fazer as minhas escolhas.... Sônia.

Links com fins sociais:

Casa do Bem
Fazer o bem sem olhar a quem...
ADOTE-RN
Associação de orientação aos deficientes

Meio Ambiente

Me siga também... TWITTER
Twitter @rionatal.

Estatísticas

Visualizações de Conteúdo : 1693469

Usuários On-line

Nós temos 148 visitantes online